quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Voz do silêncio...

"Vai com calma. Assim como o jardineiro que cuida das plantas sem apressar as flores. Lentamente, como quem conquista. Não tenta ME entender, mas deixa que EU vá deixando acontecer. Não espera nada, EU não estou esperando. Me conquista com pequenos gestos e permita que EU não deixe, que EU me feche. Que EU me abra como ostra: quando for preciso. E então, num desses encontros ao acaso, EU sorrirei envergonha por ter te deixado esperando nas ultimas três vezes em que planejamos. Tenha como único plano ‘não ter plano’. Pois se hoje EU estou fechada, e você estiver tranquilo poderei te dar pequenos presentes, limitados, EU sei. Mas se, por outro lado, você me forçar EU automaticamente sairei correndo e me trancarei num cofre, dentro de uma caixa com um relicário dentro sem termos trocado mais que dois olhares e um hamburger."

By cogu

2 comentários:

  1. muito te descreveu lia.. bonitas palavras.. auto conhecimento!! saudades daquela época.. beijo grande..!

    ResponderExcluir